PORTUGAL
FRIBURGO

FRIBURGO

Friburgo em Brisgóvia – É uma cidade localizada no sudoeste da Alemanha, mais propriamente no estado de Baden-Wurttemberg. Encontrando-se à entrada da famosa Floresta Negra, Friburgo é considerada a cidade mais quente da Alemanha com cerca de 2.000 horas anuais de sol e que se destaca por ser uma das cidades mais sustentáveis no mundo derivado do aproveitamento da energia solar.

 

COMO SAIR DO AEROPORTO

 

Esta cidade encontra-se entre as fronteiras francesa e Suíça. A melhor forma de chegar será por via aérea com voos para:

- Baden-Baden: direto com a Ryanair se for do Porto (tempo médio de voo de 2:40) e preços na ordem dos 120€

- Basileia: direto com a Easyjet via Lisboa, Porto e Faro (entre as 2:30 e as 3:00 de tempo médio de voo) com preços que variam entre os 100€ e 200€, mediante o período.

Adicionalmente, a pequena cidade universitária de Friburgo é facilmente alcançável através de comboio e/ou Flixbus caso esteja em qualquer cidade dos países mencionados – Alemanha, França ou Suíça.

Recomenda-se a sua visita nos Mercados de Natal em que todas as ruas se enchem do espírito natalício.

O comboio é a melhor opção após saída dos aeroportos de Baden-Baden (45 minutos, entre (18-26€) ou Basileia (19-25€).

 

ATRAÇÕES TURÍSTICAS GRATUITAS 

 

Centro da Cidade Velha de Friburgo – A zona da cidade velha é pequena e bastante fácil de fazer a pé. Como curiosidade repare nos desenhos na calçada mesmo à entrada de cada loja na cidade velha. 

 

Munster (Catedral) – Esta Catedral encontra-se no centro da cidade velha de Friburgo e foi construída entre 1200 e 1330. Admire os vitrais e o altar. A torre chega aos 116 metros e dispõe de 19 sinos – no entanto, para subir ao topo e ter a vista sobre a cidade (incluindo o início da Floresta Negra) é necessário pagar. Destaque para o portal de entrada que inclui cerca de 400 figuras meticulosamente ornamentadas. A Catedral encontra-se fechada para missas ou tours específicas, mas ocasionalmente pode-se também usufruir de pequenos concertos gratuitamente.

 

Munsterplatz – Esta praça onde se encontra inserida a Catedral é o palco principal do grande mercado da cidade que se realiza todos os dias (excluindo domingo) e inclui comida, vegetais, frutas e outros. Vale também a pena perder-se nos meandros das ruas paralelas e observador os fantásticos edifícios, por exemplo, a Whale House. Já alguma vez viu o filme Suspiria?

 

Schwabentor – Esta torre data de 1250 e fazia parte das fortificações da cidade, sendo uma das portas da cidade. Na sua entrada é possível ver-se um relógio e duas pinturas. A do lado de fora inclui São Jorge, o Santo Padroeiro de Friburgo. A que dá para a cidade inclui a imagem de um comerciante que se encontra associado a uma história. Reza a lenda que este homem veio a Friburgo para comprar a cidade com dois barris de ouro. Contudo, quando ele chegou à cidade, descobriu que a sua mulher tinha ficado com o ouro é substituído por areia.

 

Martinstor – A torre da outra porta da cidade data de 1238 e também continha uma pintura que foi, no entanto, retirada em 1951, destacando-se também um relógio e uma tabuleta comemorativa da queima das três bruxas em 1599.

 

Rathaus (Câmara Municipal) – Em Friburgo, os edifícios antigo e novo da Câmara Municipal estão lado a lado na denominada Rathausplatz, antigo mosteiro franciscano, bastante conhecida por ser o centro nos Mercados de Natal e por ter a estátua de Berthold Schwarz, o inventor da pólvora. 

 

Konvikstrasse – Rua pitoresca de passagem obrigatória pelas suas casas tradicionais e cores diversas que ficam sempre bem em qualquer fotografia.

 

Bachle – Estes caminhos de água são o que mais caracteriza a cidade. Ao longo de toda a cidade velha podemos encontrar esses caminhos que se diz manterem a cidade fresca. A sua origem data do século XIII em que a água era divergida do Rio Dreisam como fonte para combater fogos e bebida para o gado. Atualmente vêem-se as crianças a brincar nestes carreirinhos juntamente com os seus típicos barcos de madeira. Para além disso reza também a lenda que quem molha os pés na água fica destinado a casar com um local de Friburgo.

 

Entrada na Floresta Negra (Schlossberg) – Perto da Schwabentor pode iniciar uma caminhada pela colina em direção ao parque arborístico em que começa a Floresta Negra. Aconselha-se calçado e roupa confortável. Existem imensos trilhos disponíveis mas pouca sinalização. Outra alternativa – mas a pagar (cerca de 3,50€ ida e 6€ ida e volta) – é apanhar o funicular mesmo por trás da Catedral para aceder à parte superior da floresta. Para além da vista brutal sobre a cidade e montanhas é possível subir também à Schlossbergturm – uma torre de observação com 114 degraus e com vista total para a cidade que parece mínima de cima. 

 

Cemitério antigo – Embora não seja dos locais preferidos para alguns, este cemitério é recomendado pelas suas sepulturas e esculturas barrocas e neoclássicas. Os locais costumam passear pois também tem um parque mesmo ao lado.

 

Mercados de Natal – Um dos melhores períodos para visitar a cidade é, sem dúvida, durante dezembro para aproveitar os mercados de natal. Ao longo de várias ruas, a cidade enche-se de barracas e tendas de comida, bebida e muitos outros produtos. Perfeito para experimentar a famosa salsicha típica de Friburgo – a Lange Rote – e também o tradicional vinho quente (gluwein) nas canecas natalícias que mudam todos os anos.

 

Biblioteca – Edifício totalmente diferente da cidade em si, custou cerca de 66 milhões de euros, razão pela qual não é muito aceite pela população em geral. O edifício é bonito mas encontra-se um pouco desenquadrado do resto.

 

 

NÃO GRATUITAS MAS QUE VALEM A PENA

 

Torre da Catedral (Munster) – Totalmente recomendada a subida à plataforma na torre para as melhores vistas sobre a cidade e até da Floresta Negra. Nesta subida é também possível ver alguns dos sinos da Catedral. Como dica: para uma foto diferente aproveitem os espaços na escadaria, apesar desta ser estreita e confinada a uma pessoa de cada lado… e bem apertadinhos.

Preço do bilhete: 4 Euros

 

Museu Augustiner (  fechado às segundas-feiras) – Trata-se de um museu situado num mosteiro restaurado e que se destaca pelas esculturas e pinturas de artistas renascentistas.

Preço do bilhete: 6 Euros

 

Beber uma cerveja numa das várias cervejarias da cidade – Alemanha é sinónimo de cerveja. Experimente uma das várias cervejas artesanais nos famosos biergarten de Friburgo (Hausbrauerei Feierling, Ganter Brauereiausschank, Martin’s Brau). 

 

ONDE DORMIR?

 

Hotel Minerva – Art nouveau hotel presente num edifício típico com janelas características de tom pastel. A sauna é, sem dúvida, uma das grandes vantagens (8€). Preço varia entre 70 - 165€ para quarto duplo/ noite.

 

The Alex – Boutique hotel característico pelas grandes janelas de vidro e pelo seu interior de madeira clara e materiais naturais. Tem um ar cosmopolita e acolhedor. Dispõe ainda de um bar que permite experimentar os vinhos locais. Preço varia entre 100 - 150€ para quarto duplo/ noite.

Hotel Oberkirch – A hipótese mais dispendiosa tem cerca de 250 anos de história e apresenta quartos acolhedores mesmo ao lado da Catedral. Para além disso dispõe ainda de um restaurante com especialidades típicas. Preço varia entre 100 - 180€ para quarto duplo/ noite.

 

ONDE COMER?

 

Para comida e snacks a um preço acessível ir até Kaiser-Joseph-Strasse e Kartauserstrasse. Na zona circundante, destacam-se:

 

Edo’s Hummus Kuche – Para amantes de húmus que é servido com pitta, falafel ou salada de lentilhas. Pratos entre os 4€ e os 8€.

 

Chang – Se quiser um toque tailandês em plena Europa experimente a comida deste restaurante que nos leva diretamente para a Ásia. Com pratos entre os 6€ e os 10€, recomenda-se o pad thai.

 

Gasthaus zum Kranz – Estilo de taberna e restaurante tipicamente alemão onde se pode experimentar o leitão. Preços entre os 15€ e os 25€.

 

Freiburg Markthalle – para quem a comida alemã não convença, pode sempre experimentar este restaurante com comida internacional e que inclui pratos de vários locais do Mundo.

                                                                                                                 CONTRIBUTO DO VIAJANTE  FREDERICO FLORÊNCIO

  • Instagram